Hora de abandonar a chupeta

As crianças precisam de apoio no momento de deixar de lado a chupeta. E cabe aos pais comandar o processo para que ele seja o mais natural e o menos traumático possível. Escuto muita gente falando para simplesmente tirar pois, com o tempo, a criança deixa de pedir pela chupeta. Mas esta não é uma forma saudável de agir e pode causar consequências negativas para a vida inteira.

Do zero aos dois anos de idade, as crianças estão em pleno desenvolvimento e na fase oral, que muitos já devem ter ouvido falar. Nesta idade, elas descobrem o mundo com a boca, levando os brinquedos, a chupeta, enfim, tudo acaba indo para a boca. Isso ocorre muito pelos dentinhos estarem incomodando também, mas acima disso, é uma fase muito importante e definitiva.

Muitas fixações podem se desenvolver a partir de algo mal resolvido nesta faixa etária, como sumir com a chupeta, colocar curativo nos seios falando que está dodói para a criança não mamar mais, ou fazer ameaças para não dar mais a chupeta. São diversos fatores que devemos cuidar nessa fase.

É claro que cada criança vai reagir de uma maneira. Algo que para uma pode ser impactante, pode não fazer diferença para outra. O trauma em si é algo mais complexo de explicarmos aqui. São vários fatores, como comentei no artigo sobre o banho, fatores ambientais, familiares e pessoais também.

Para isso, é importante avaliarmos se a criança está pronta para a retirada. Pensando nisso, elaborei 14 dicas:

1- Direcionar o uso para dormir e ir reduzindo aos poucos, de forma gradual.

2- Conversar muito, mostrar que ela está grande, que não precisa mais da chupeta, que pode receber um abraço, por exemplo, quando está triste ou com medo.

3- Mostrar os dentinhos no espelho, explicando que eles podem ficar tortos caso continue a usar a chupeta.

4- Levar a criança ao dentista para avaliar e conversar.

5- Entregar para o Papai Noel ou o Coelho da Páscoa, mas com a criança querendo e não sendo forçada para isso.

6- Quando as chupetas começarem a estragar, não comprar outras. Diga que só tem mais duas chupetas, por exemplo, e que se quiser, deverá cuidar delas.

7- No momento em que a criança quiser se desfazer da chupeta, evite voltar atrás. Nos próximos dias ela pode mudar de ideia e pedir por ela, mas converse e lembre como foi o processo, que ela não precisa mais. Ofereça um abraço ou um passeio, mude o foco, mas sem deixar a criança sem resposta.

8- Essas dicas valem para a mamadeira também. E você pode fazer combinações, tentar trocar primeiro pelo copinho. Mostre como você toma, as crianças aprendem muito pelo exemplo. Para quem tem filhos mais velhos essa parte fica mais fácil, pois eles querem acompanhar os irmãos.

9- Ler livros sobre esse assunto ajuda a elaborar a forma de agir.

10- Trocar a chupeta por comida ou brinquedo não é o ideal. Prefira um passeio bacana, um momento em família. Caso contrário, a criança vai querer colocar coisas fora para ganhar outras no lugar, e sabemos que isso não é o correto.

11- Procure reforçar o lado bom de crescer.

12- Não tire tudo ao mesmo tempo, como naninha, chupeta, mamadeira ou fraldas. Prefira fazer a transição de uma coisa de cada vez.

13- Vale pensar em uma data e mostrar no calendário o dia de deixar a chupeta.

14- Distrair a criança e procurar mudar o foco também é uma alternativa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *